Você se considera uma mente brilhante?

0
457
Alice: "Ao autoconstruir-se jamais perca o foco"

Por Alice Schuch*

Se você é uma mente brilhante, possui os assim chamados dotes de protagonismo, carisma e liderança, isto não significa, por esse fato, que você seja sábia, potente e racional. Um sujeito que possui dotes superiores recebeu mais da vida do que os outros e tem por isso necessidade de um alto exercício crítico de consciência, para responsabilizar-se sobre o seu valor.

Se você se considera uma protagonista, habitue-se a reconhecer as verdades pelos fatos, uma pessoa se reconhece por aquilo que produz. Um protagonista precisa formar-se, capacitar-se para vencer, conquistar o seu espaço, pois vive em relação. Ao autoconstruir-se jamais perca o foco, privando com pessoas ou ambientes não funcionais ao seu escopo de vida.

A protagonista do século XXI é capaz de assimilar informações com surpreendente rapidez. Propõe, troca, faz, desfaz, inventa. Recria seu próprio personagem o tempo inteiro, sedutoramente moderna, possui forte business appeal, por isso envolve.

Alguns iniciam do nada e vencem, estas são pessoas livres dentro, exuberantes, inteligências de ponta que abrem estradas, trabalham para si e sua liberdade jamais é maculada pela profissão com a qual se vestem. Atuam à proporção que convém ao processo histórico de síntese evolutiva, e sabem que caso exista a contradição também uma mente brilhante corre o risco de naufragar.

A mulher líder, quando a encontramos, é impossível não vê-la, pois é acima de tudo uma mulher carismática que transmite liberdade, expansão, vida, jamais restrição ou fixação.

A mulher protagonista responsável nasceu para brilhar, a ela acorrem todos, os eventos se sucedem, porém está sempre a salvo com sua economia organizada. Para muitos existem altos e baixos, não para ela, pois é extremamente coerente. São pessoas especiais que jamais recorrem à violência para impor-se: usam a força da razão, jamais a razão da força, seja que atuem no setor privado ou no público.

*Por Alice Schuch, palestrante e pesquisadora do universo feminino

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEscrever é transcender
Próximo artigoHermes Santos e o seu legado em forma de arte
É brasileira, doutora em Ciências da Educação - Universidad de Desarrollo Sustentable - UDS. Mestre em Ciencias del Educación pela Universidade Del Mar (Chile). Especialista em Psicologia com Endereço Ontopsicológico pela Universidade Estatal de São Petersburgo (Rússia). Especialista em Políticas Públicas em Gênero e Raça pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM (Rio Grande do Sul, Brasil). Pós-graduada em Psicopedagogia pela Universidade Castelo Branco (Rio de Janeiro, Brasil). Possui MBA Business Intuition pela Antônio Meneghetti Faculdade (Recanto Maestro, RS, Brasil) e MBA La Business Intuition Del Made in Italy pela FOIL Itália (Milão, Itália). Atuou na Antônio Meneghetti Faculdade como responsável pelo setor Responsabilidade Social, Coordenação Pedagógica e Ouvidoria. Autora de "Mulher: Aonde vais? Convém?" e “Contos de Alice”, fatos da vida real vivenciados por Maria Alice Schuch que ilustram sua pesquisa exposta em diversos eventos e congressos no decorrer dos últimos anos: Seminário FOIL São Paulo (Brasil, 2002); Faculdade de Psicologia da Universidade Estatal de São Petersburgo (Rússia, 2003); Congresso Internacional Ontopsicologia e Memética em Milão (Itália, 2003), que se encontra publicado na obra homônima, de Antônio Meneghetti. A pesquisa também abrangeu a participação da autora no International Congress Business Intuition, realizado em Riga (Letônia, 2004); no XXI Encontro Nacional dos Women’s Clubs em Canela (Brasil, 2006); no evento de premiação da Fondazione di Ricerca Scientifica ed Umanistica Antônio Meneghetti em Genebra ( Suíça, 2011). No encontro “Brasil do Milênio” realizado na sede do Conselho Econômico, Social e Ambiental da República Francesa em Paris (2012), a autora participou do grupo de pesquisa da Antônio Meneghetti Faculdade. E, ainda, no 41º Encontro da Sociedade Brasileira de Psicologia em Belém (Pará, 2012), ocasião na qual foi apresentado o Projeto Mulher do Milênio, grupo de estudos da Antônio Meneghetti Faculdade referente ao 3º Objetivo do Milênio da ONU: “Igualdade entre os sexos e autonomia das mulheres”.