A imagem da experiência

0
351

Recentemente recebi do amigo Rodrigo Gontijo a frase abaixo e a sugestão para escrever sobre este ponto. Por se tratar de um tema superinteressante, aceitei na hora.
A frase dizia o seguinte: “Por que os recrutadores não querem contratar pessoas com mais de 50 anos, mas buscam por médicos, pilotos e mentores de cabelos brancos?” – Ester Morgan.
Será que já aconteceu com você de entrar em um consultório médico e fazer um pré-julgamento da aparência quanto à jovialidade daquele profissional?
Será que temos um alto nível de conforto quando entramos num avião, por ignorar completamente a idade do piloto e o volume de horas de voo que ele tem?
Será que ele estudou para ser um dos melhores alunos da faculdade ou apenas para passar e ter um certificado?
Você confiaria em alguém que tenha se esforçado tanto quanto você para se tornar um profissional de alta performance?
O convite aqui é para refletir o quanto, às vezes, podemos ser preconceituosos em relação à experiência de um indivíduo. Sabemos que existem muitas pessoas que desde cedo possuem um talento nato para aquilo que decidiram ser e somos humanos, o medo faz parte dos sentimentos existentes em nossa cabeça. Dessa forma, é normal pensar que quando você está com a sua vida em risco, quer seja financeira, emocional ou física, você queira alguém com muitos quilômetros rodados, experiências comprovadas e muitos casos de sucesso. Espera que seja um profissional que tenha sido muito comprometido com o seu estudo e que tecnicamente atenda a todos os requisitos necessários para entender daquela situação e prover a melhor solução.
Temos também o outro lado, imagine-se tendo uma consulta com um profissional 60+. Nesse caso, outras perguntas podem vir a sua mente, por exemplo, será que ele está atualizado? Será que ele ainda tem a habilidade necessária para resolver esse tema/situação?
Perceba que pode haver em nosso inconsciente uma imagem pré-definida e, quando nos confrontamos com algo que conflita com o que idealizamos, nesse momento pode acontecer a rejeição. Isso é algo inconsciente e precisamos analisar caso a caso.
Muitas vezes, o indivíduo pode estudar uma nova profissão nos seus 40 ou 50+ e isso faz com que profissionais de cabelos grisalhos possam ser iniciantes parecendo especialistas na carreira. O importante é você se dar a condição de explorar, questionar sobre o currículo de cada um, a experiência vivida e confiar na sua intuição. A imagem da experiência está completamente relacionada às suas crenças e valores.
Deixo essa reflexão contigo, afinal, nós somos também avaliados diariamente pelo que somos, o que fazemos e a aparência que temos.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFalta de mão de obra aumenta salários de profissionais de tecnologia
Próximo artigoAgile 2022, conhecimento na fonte
Administradora de Empresas, MBA de Tecnologia da Informação pela FGV e formação de Personal & Professional Coaching pela SBC. Mais de 20 anos de trabalho em empresas de grande porte e com experiências diversificadas, como gerenciamento de operações, desenvolvimento de negócios, comunicação, vendas, marketing e alianças. Executiva de Marketing. Escritora no livro Mulheres do Marketing, da Editora Leader, e colunista no Jornal Leader.