A importância do timming

0
244

Entre todos os aspectos para um bom planejamento, um dos mais importantes é com certeza o timming. Temos diversos exemplos de como o planejamento falhou por não ter sido implantado no tempo certo. Desde exemplos imemoriais, quando os homens primitivos dominaram outras tribos por descobrirem primeiro uma certa tecnologia. Imaginemos quando houve a descoberta do fogo, a tribo que primeiro o dominou se tornou muito mais próspera, e as demais quando conseguiram saíram atrás.
Um exemplo que gosto muito é da 2ª guerra mundial, que foi abreviada em pelo menos quatro anos pela implementação da tecnologia de decifração de códigos, muito bem apresentada no filme O Jogo da Imitação (The Imitation Game). O exemplo demonstrado é muito rico, pois mostra que, mesmo com toda a competência da máquina de guerra alemã, dominar uma nova tecnologia garante muitas vantagens, a ponto de a Inglaterra ter conseguido utilizar essa tecnologia para enganar a Alemanha nazista e ganhar a guerra. Portanto quando a liderança da sua empresa o pressiona para que atenda seus prazos, o motivo é a sobrevivência. Vivemos em uma era de muita velocidade e os tempos se encurtaram muito. Caso as empresas não consigam se adequar a este timming, vão dar lugar a outras.
Os ciclos estão encurtando, o tempo de entrar com um novo produto é muito importante. Seja pela sazonalidade, regulamentação ou emergência, a pandemia veio nos mostrar que quem se adaptou rapidamente conseguiu criar muita riqueza. Nunca foi tão verdadeira a frase “enquanto uns choram outros vendem lenços”.
É preciso estar preparado, os europeus queriam a segurança das grandes embarcações, e buscavam uma estabilidade impossível. Os polinésios conquistaram os mares muito antes dos europeus, pois seus barcos eram feitos para virar e desvirar rapidamente, tinham a sabedoria de que a única certeza era que o mar, além de mais forte que qualquer embarcação que fosse feita, sempre mudaria rapidamente.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMuseu dos Coches por Paulo Mendes da Rocha
Próximo artigoCuidado com o cuidar
É analista de sistemas, advogado, gerente de projetos, poeta e padeiro, pós-graduado em contratos pela FGV, certificação PMP e SCPM por Stanford. Acumula 23 anos de trabalho em empresas de grande porte e advocacia, perfil composto por: gestão de projetos, desenvolvimento de negócios, vendas, relacionamento em diversos níveis. É responsável pela implantação de novas empresas brasileiras em Portugal.