As dez bibliotecas mais belas do mundo

0
641

Bibliotecas já existem há mais de 4 mil anos. Elas são espaço educativo, de refúgio e encontro. Algumas se parecem com salões de baile, outras remontam a naves extraterrestres. Confira uma seleção das mais suntuosas.

1 – Real Gabinete Português de Leitura

A instituição fundada em 1837 por imigrantes portugueses no Rio de Janeiro está completando 180 anos. Projetado em estilo neomanuelino, o edifício da atual sede foi inaugurado em 1887 pela princesa Isabel. O Real Gabinete abriga volumes raros como a primeira edição de “Os Lusíadas” de 1572. Em 2014, esta biblioteca pública foi considerada uma das mais belas do mundo pela revista americana “Time”.

2 – Renascendo das cinzas

A Biblioteca Anna Amalia, em Weimar, recebeu seu nome atual somente em 1991. Anteriormente, por 300 anos, ela se chamou simplesmente Biblioteca Ducal. Em 2004, o prédio e seu famoso salão rococó ganharam notoriedade trágica ao ser parcialmente destruídos por um incêndio. Três anos mais tarde, o edifício foi reaberto após uma restauração.

3 – Campo de futebol ou biblioteca?

Mesmo sem carteira de estudante, vale a pena visitar a Universidade Técnica de Delft, na Holanda. Com uma cobertura vegetal, o prédio da biblioteca é particularmente notável. No verão, os estudantes gostam de pegar sol nesse plano inclinado e gramado. O cone que perfura o centro do edifício tem 42 metros de altura. No interior, há uma estante de livros, que se estende ao longo de quatro andares.

4 – Negro como o ébano

O jornal britânico “The Daily Telegraph” incluiu em 2013 a Biblioteca Joanina, na Universidade de Coimbra, entre as bibliotecas mais espetaculares do mundo. Seu nome é uma homenagem ao rei Dom João 5°, que encomendou a construção do edifício. Todas as prateleiras são feitas de ébano e outras madeiras preciosas. Hoje, a antiga Casa da Livraria faz parte da faculdade de Direito.

5 – Passado grandioso

Ela foi, possivelmente, a biblioteca mais famosa do mundo e pegou fogo 2 mil anos atrás: antes de sua destruição, estima-se que a Biblioteca de Alexandria abrigasse o conhecimento do mundo em cerca de 490 mil rolos de papiro. Desde 2002, uma nova instituição tenta resgatar o seu passado glorioso: o edifício com vista para o mar custou 220 milhões de dólares aos cofres do governo egípcio.

6 – Tesouros mumificados

A biblioteca do convento de St. Gallen, na Suíça, guarda um acervo de livros já há 1.300 anos. Ali os visitantes podem ver, por exemplo, o plano construtivo do convento, a mais antiga planta arquitetônica da Europa. A biblioteca também se encontra de posse de uma múmia egípcia. Considerada uma das mais belas do mundo, a biblioteca foi elevada a Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1983.

7 – O cérebro

 

Devido à sua forma craniana, esta instituição berlinense foi apelidada de “o cérebro”. Ela abriga as bibliotecas dos Departamentos de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Livre de Berlim e logo se tornou um marco arquitetônico. Inaugurada em 2005, ela foi projetada pelo arquiteto britânico Norman Foster.

8 – Abóbadas de carvalho

Com 64 metros de extensão e 12m de largura, o imponente “Long Room” (Espaço Longo) se destaca em Dublin como parte da antiga biblioteca do Trinity College. Originalmente, a sala era muito menos impressionante com seu teto plano de gesso. Em 1858, arquitetos tiveram a ideia de remover a laje plana, elevando o pé-direito do salão, que recebeu uma cobertura em abóbadas de carvalho.

9 – Ator global

Com um acervo de mais de 30 milhões de livros impressos e outras mídias, a Biblioteca Nacional da China está entre as sete maiores do mundo. Ela foi construída em 1809, quando ainda se chamava Biblioteca da Capital. A partir de 1928, passou a se chamar Biblioteca de Pequim. Somente em 1998, ganhou o seu nome atual após aprovação do governo chinês.

10 – Atmosfera teatral

Em Buenos Aires, El Ateneo não é uma biblioteca, mas uma livraria. O edifício possui uma história movimentada. Em 1919, foi inaugurado como teatro. No final do século 20 foi transformado em cinema. Finalmente, no ano 2000, se tornou uma livraria. Nos antigos camarotes do teatro se encontram hoje poltronas para leitura. No palco, são servidos café e bolo.