Então não termina nunca?

0
276

Quando atingi idade suficiente para pensar no futuro, quis saber quando eu “terminaria de estudar”. A conta me parecia simples: oito anos de 1º grau (atual ensino fundamental), três de 2º grau (ensino médio) e mais quatro de faculdade. Ou seja, em 15 anos as longas horas de estudo estariam no passado.

Hoje, após mais que o dobro desse tempo, está claríssimo que meu cálculo foi um caso típico de “ledo engano, vã ilusão” — e que o clichê de que não podemos nunca parar de aprender não só é realidade como precondição para o sucesso em quase todas as áreas profissionais e da vida.

Suponho que você poderá confirmar esse cenário ao olhar para si e à sua volta, pois provavelmente verá pessoas que mobilizam tempo e energia para aprender mais, mesmo que teoricamente “não precisem”. Nesse sentido, peço licença para trazer aqui dois exemplos bem próximos a mim.

Minha mãe, que é psicóloga bem-sucedida, dedica boa parte de suas noites e fins de semana a cursos, simpósios e congressos na área em que atua e em outras correlatas, na busca perene por atender melhor a quem a procura.

Já meu irmão, que tem uma carreira consolidada na área de arquitetura e iluminação, atualmente ocupa suas noites com uma nova graduação para expandir o conjunto de soluções que oferece aos clientes que atende.

Existem nomes para isso, como andragogia (educação para adultos) e lifelong learning (aprendizagem continuada ou por toda a vida). Em termos gerais, estamos falando de aprender durante a idade adulta, em múltiplos contextos e momentos, dentro e fora dos ambientes formais de Educação.

Os benefícios dessa prática são muitos, como a ampliação de repertório profissional e de vida, o fortalecimento da saúde cerebral, o estabelecimento de novas conexões com pessoas e áreas de conhecimento, a maior autoconfiança…

Logo, a resposta para a pergunta do título é: não, não termina nunca. E isso é fascinante, pois nos permite evitar a estagnação e evoluir constantemente. O segredo é aprender sempre – e para sempre!

PARA SABER MAIS:

Lifelong Learning

Lifelong learning: Conceito, objetivos, pilares e vantagens

Andragogia

Andragogia: O que é, Objetivos e Técnicas

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLição dada, lição aprendida
Próximo artigoO trem vai bater. O que você faz?
Tem formação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem e experiência de mais de 30 anos em Educação, cerca de 20 deles como executivo na área. Atua também na liderança de associações profissionais. É autor, palestrante, consultor, conselheiro de administração e professor. Vê a Educação como o caminho mais democrático e eficaz para que pessoas e sociedades atinjam seu melhor potencial.