Maria Goret Chagas fala de superação na TV Aparecida

0
538

Maria Goret Chagas, que será a coordenadora do próximo lançamento da Editora Leader, “Superação”, também autora do livro “Paralímpicos” e coautora de “Empreendedoras de Alta Performance”, foi entrevistada na TV Aparecida, no programa Kombina, com apresentação de Bete Ribeiro. O assunto foi a sua história de superação, pois Maria Goret, apesar do prognóstico dos médicos de que não andaria, conseguiu e com muito esforço e coragem se tornou artista plástica, com obras conhecidas internacionalmente.

Goret conta que nasceu em Delfinópolis, Minas Gerais, tetraplégica, não andava e o prognóstico era de que só andaria aos cinco anos com aparelhos. Mas, durante uma festa do Divino Espírito Santo, segundo ela, aconteceu um milagre e começou a andar, com quatro anos e meio. E ela havia dito para a mãe que iria andar ou morrer, durante a festa.

Foi montada uma exposição no local da entrevista, com várias telas de Goret, que começou muito cedo a pintar com os pés. Foi alfabetizada em casa e quando foi para a escola a professora propôs que ela pintasse com a boca, pra facilitar. E Goret enaltece o amor à vocação pois a professora, com poucos recursos, orientou a sua vida.

Perguntada sobre os limites que muitas vezes as pessoas mesmo se impõem, a artista disse que o desafio é que alimenta a superação. “Eu consegui me superar pintando, fazendo duas faculdades, Letras e Educação Artística, trabalhei no Magistério 28 anos, ensinando Literatura e Arte, trabalhei com eventos, até que conheci a Associação dos Pintores com a Boca e os Pés, que tem sede na Suíça, somos 800 no mundo, 53 no Brasil e dois em Franca, onde moro. Através da associação os limites foram ultrapassados de uma forma muito grande. De repente recebo cartão lá da Finlândia, da Croácia. Minha arte atravessou tudo isso!”, contou, sempre com um sorriso. Ela acrescentou que a mãe sempre diz que ela começou a andar e não parou mais.

Ao longo do programa, Goret pintou uma aquarela, com flores lindíssimas, com a boca, e depois outra tela com os pés. Os apresentadores sugeriram para os espectadores que se inspirassem no exemplo de Goret e não colocassem limites nos dons e talentos que Deus deu a todos.

Goret pintou uma tela com os pés e relatou que foi convidada no ano passado a pintar no carrossel do Museu do Louvre, em Paris: “Foi muito importante, a superação deu um salto muito grande. Mas agradeço tudo a Deus, porque este momento aqui é tão significativo quanto porque onde tem a alegria de alguém sentindo-se inspirado eu me inspiro mas ainda”, afirmou.

A entrevista foi dada no jardim em frente do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, onde fica estacionada a Kombi do programa, por isso o nome Kombina. E se foi formando em volta um grande número de pessoas, encantadas com a arte de Goret.

Ela falou ainda das palestras motivacionais que ministra, pois acredita que toda superação tem de ser extravasada. Ela trabalha com empresas, eventos, palestras, inovação, superação, e além da parte teórica, coloca sua vida, para que o público faça o que quiserem com ela, e termina pintando.

Sua mensagem final é que se preste atenção no coração, porque ele vai indicando, vai mostrando, e “correr atrás”: “Não adianta ficar só atrás de sonhos, eu corro muito atrás do que eu quero, sair da zona de conforto e procurar de uma forma abençoada, com trabalho também, e ter Deus no coração, porque sem Deus no coração nada é possível”.