Maturidade em diversidade e inclusão?

0
762

Todos e todas já entendemos que diversidade é fundamental para os negócios. Mas, quando abordo clientes para entender os níveis de maturidade do tema nas suas respectivas empresas, na maioria das vezes recebo respostas vagas ou indicadores, por exemplo, o percentual de negros ou de PCDs em relação ao número de funcionários, e é aí que explicamos o conceito de maturidade. Pesquisa da Deloitte aponta que, embora 71% das organizações aspirem a uma cultura inclusiva, o nível de maturidade delas no tema ainda é muito baixo. E a régua da maturidade possui cinco níveis distintos:
• Nível 1 – diversidade vista como um problema a ser gerenciado: a empresa está focada em mitigar eventuais riscos e ainda não possui uma estratégia para D&I.
• Nível 2 – diversidade programática: o valor da diversidade começa a ser reconhecido, e a empresa cria um calendário de eventos ou outras atividades lideradas pelo RH, como treinamentos sobre vieses inconscientes, por exemplo.
• Nível 3 – diversidade comandada pela liderança: mudanças mais substanciais da cultura organizacional, quando o CEO e outros líderes empresariais influentes se engajam, desafiam o status quo e enfrentam as barreiras à inclusão. Também se estabelecem metas em D&I.
• Nível 4 – força de trabalho diversa: a empresa começa a entender o valor de ter uma força de trabalho diversa e a criar ações para engajar seus funcionários, que começam a sentir que suas opiniões são valorizadas na organização.
• Nível 5 – cultura inclusiva: a empresa já utiliza diversidade de origens, competências, pontos de vista, etc., para melhorar os resultados de negócio e aumentar valor. Funcionários e líderes sentem que a diversidade, alinhada à inclusão, é parte integrada ao negócio e fundamental para o sucesso.
Após diagnosticar o nível atual de maturidade e estabelecidas as metas para o futuro, a empresa estará apta para colocar em prática sua estratégia de D&I. E aí, qual é o nível de maturidade em D&I de sua empresa?

COMPARTILHAR
Artigo anteriorInvestir em pessoas é investir no Poder
Próximo artigoMuseu dos Coches por Paulo Mendes da Rocha
Graduado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão de Pessoas pela FGV, sou Diretor-Líder dos serviços em Diversidade e Inclusão da Deloitte Brasil. Há 25 anos atuo em grandes projetos liderando temas como cultura, liderança, diversidade e inclusão, dentre outros. Sou fundador da “JMS Consultoria em Gente” e voluntário em programas de mentoria para profissionais jovens e maduros.