O que DE&I tem a ver com bem-estar no trabalho

0
254

O Brasil é um dos países com maior número de pessoas com síndrome de burnout no mundo, atrás somente do Japão. Em sua pesquisa de tendências de RH 2021, a Consultoria Deloitte sugere que as empresas devem redesenhar seus processos e sua cultura, de maneira que bem-estar esteja incorporado ao dia a dia do ambiente de trabalho, reforçando que isso será o fim do chamado “equilíbrio entre trabalho e vida pessoal”, modelo conhecido há tempos e que – no meu entendimento – fracassou há muito tempo. A mesma pesquisa descreve que a síndrome da COVID-19 trouxe à tona a preocupação com o bem-estar das pessoas, por um lado, e a necessidade da transformação do trabalho, por outro, porém a liderança organizacional ainda não atentou para a importância de conectar ambos os fatores.
Diversidade, equidade e inclusão são temas 100% conectados à saúde emocional e ao bem-estar das pessoas nas empresas, haja vista que no núcleo de DE&I estão exatamente o tratamento justo às pessoas, a equidade de oportunidades, o respeito a suas características únicas como seres humanos e a participação no processo de tomada de decisões. Dessa forma, implementar um programa de DE&I vai muito além do que somente contratar pessoas diferentes, criar grupos de afinidade ou celebrar datas importantes. Um programa bem elaborado, verdadeiro, liderado e sustentado pelas executivas e executivos de uma organização pode também, segundo pesquisas de institutos e consultorias ao redor do mundo, colaborar para que os índices de satisfação cresçam, que os números de turnover caiam e que se estabeleça um ambiente inclusivo, produtivo e feliz.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPerfeitos em nossa imperfeição
Próximo artigoEmpreendedoras do Pará são as protagonistas do próximo lançamento da Leader
Graduado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão de Pessoas pela FGV, sou Diretor-Líder dos serviços em Diversidade e Inclusão da Deloitte Brasil. Há 25 anos atuo em grandes projetos liderando temas como cultura, liderança, diversidade e inclusão, dentre outros. Sou fundador da “JMS Consultoria em Gente” e voluntário em programas de mentoria para profissionais jovens e maduros.