Palestra da autora Márcia Modesto reúne grande público na Livraria Travessa

0
383

Dia 7 de julho último, na Livraria Travessa, no Rio de Janeiro, a Editora Leader promoveu a palestra “Perdão, a chave para a liberdade”, com Márcia Modesto. Ela é a autora do livro “Reflexões e Experiências – Entre Quatro Paredes”, publicado recentemente pela Editora Leader.

Márcia ressaltou que a pessoa vai adoecer com a mágoa, todo dia aquilo, vai corroendo. E pergunta como é que se perdoa alguém que já morreu. “Como fazemos? E aquilo que aquela pessoa te causou, como é que você faz pra se liberar? A gente tem de aprender alguma coisa de uma situação de mágoa e de dor. Mas estou magoada comigo, não é nem com o morto, isso é muito comum. O processo de culpa quando alguém morre. A mágoa pela expectativa, pela decepção, precisa ser elaborada de alguma maneira.”

Ela aconselha, por exemplo, que se escreva uma carta. “Nós que somos terapeutas sistêmicas usamos muito isso. Escreva uma carta, leve no cemitério, no túmulo, deixa umas flores e vai embora. Isso tem um impacto para as pessoas. Tem muitas formas de você se liberar. O importante é se liberar”, afirma.

Mas frisa que perdoar não é esquecer, muito ao contrário, é preciso lembrar: “Aquilo me magoou, então não posso mais repetir”. Outra coisa é ter de se reconciliar com essa pessoa já que estou perdoando. “Nada disso, estou perdoando porque é bom para mim mas se não é uma relação que pode satisfazer, não tem de haver reconciliação. Tem gente que só desperta o nosso melhor, só faz que brotem sentimentos melhores, e tem gente que desperta o nosso pior. Aí eu preciso me reconciliar com quem me desperta o pior? Não, só vamos nos reconciliar com quem oferece a possibilidade de eu me desenvolver, não com quem desperta a possibilidade de eu ficar encarquilhada ali na dor, na raiva, no ressentimento”, explica. Perdoar, diz Márcia, não é esquecer, não é se reconciliar, não é achar que a pessoa é maravilhosa se ela ou se essa situação foi um engano.

Márcia concluiu dizendo que perdoar é principalmente querer ter uma vida em paz, mesmo que a pessoa se sente no futuro com alguém que a magoou, aquela situação aconteceu lá atrás e eu não há como recompor nada.

Sobre a obra
Márcia colocou em seu livro sua experiência em consultório, ou entre quatro paredes, e seu desafio ao escrevê-lo foi ajudar mais pessoas a encontrarem seu caminho, falando sobre o que realmente é importante para o ser humano. E seu objetivo principal foi abordar os cinco principais fatores facilitadores para uma vida melhor: aceitação, coragem, otimismo, perdão e fé. Com a certeza de que todas as pessoas estão em busca de uma relação mais prazerosa com a vida, ela espera que todas tirem o melhor proveito da leitura de seu livro.