Sobre limões e limonadas

0
257

Eis que chegamos a mais um dezembro. Um dezembro diferente, ainda ressabiado diante de tudo que a espécie humana viveu nesses quase dois anos tão estranhos.
É possível que você se lembre de prognósticos lá do começo da pandemia: “a humanidade vai entender o que realmente tem valor”, ou “o mundo do trabalho nunca mais será o mesmo”, ou ainda “as pessoas serão mais solidárias umas com as outras”. A confirmar (ou não).
Agora que estamos caminhando para o que aparenta ser o fim desse período – salvo novas surpresas –, talvez seja hora de começar a aquilatar seu impacto sobre nós, como indivíduos e como coletividade.
Considerando que uma das vertentes desta coluna é a Educação, proponho uma avaliação sob a ótica da aprendizagem. O que você aprendeu neste ano (ou nesses dois anos)? Algo que confirme aquelas previsões iniciais? Novos conhecimentos? Novos afetos?
Enfim, meu convite é para que, na preparação para o próximo ano, você dedique algum tempo a analisar o que se tornou aprendizado real nesse período. Afaste-se um pouco da agitação cotidiana e examine que mudanças haverá daqui em diante para sua vida e para a daqueles com quem você se relaciona.
Este é um momento histórico muito raro. Em várias dimensões, dolorido. Apesar disso, desejo que no futuro você possa olhar para trás e percebê-lo igualmente como uma grande chance de aprendizagem. Desejo também que esses aprendizados lhe façam muito bem e façam de você uma pessoa melhor – sobretudo para si. Feliz 2022!

*
Com este texto me despeço da coluna. Foi uma jornada de muita satisfação e, claro, muita aprendizagem. Por isso e tudo o mais, agradeço. À amiga Elaine Póvoas, que lá no fim do ano passado me convidou para ocupar este espaço. À amiga Ana Lucia Carriel, que esteve sempre ao meu lado como co(e)laboradora no conteúdo. À Andréia Roma e à Miriam Novaes, que sempre acolheram meus textos com todo o respeito e liberdade. E especialmente a você, que me honrou com sua leitura e reflexões. Obrigado e até uma próxima oportunidade.

PARA SABER MAIS
Previsões para o pós-pandemia

Um ano depois, veja como 8 previsões sobre a pandemia se sustentaram

Entenda quais serão as tendências de trabalho no pós-pandemia

https://www.em.com.br/app/noticia/bem-viver/2020/04/26/interna_bem_viver,1141300/a-pandemia-faz-ressignificar-novos-sentidos-e-provoca-a-solidariedade.shtml

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNetworking do Bem
Próximo artigoEm busca de equilíbrio
Tem formação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem e experiência de mais de 30 anos em Educação, cerca de 20 deles como executivo na área. Atua também na liderança de associações profissionais. É autor, palestrante, consultor, conselheiro de administração e professor. Vê a Educação como o caminho mais democrático e eficaz para que pessoas e sociedades atinjam seu melhor potencial.