Sua palavra vale!

0
335

Quanto vale sua palavra?
Quanto você tem prometido algo a você mesmo ou aos outros e tem cumprido?
Precisa de alguma formalidade para fazer valer o que falou que faria?
Você tem se parabenizado por cumprir todos os compromissos assumidos?

Muitas são as pessoas que prometem… aliás, para algumas delas talvez seja a forma mais fácil de se esquivar da responsabilidade. Ela promete que vai fazer, mandar, pegar, e nada acontece. Pode ser por esquecimento, falta de compromisso ou capacidade ou recursos, irresponsabilidade, infantilidade, imaturidade, enfim, são diversos os motivos que levam a esta fatídica situação.

Segundo Jorge Linhaça, “há décadas, surgiu a expressão no “Fio do Bigode”, que precedeu o lacre, a assinatura e a rubrica. Consistia em dar em garantia da palavra empenhada um fio da própria barba, retirado em geral do bigode. De origem controversa, bigode pode ter vindo da antiga expressão germânica pronunciada nos juramentos: “bi Gott”, ou “por Deus”. Eram os tempos dos fios de bigode. Ou melhor, um único fio do bigode. A palavra valia tanto quanto um fio do bigode. Pois homem que era homem, usava bigode. E para usá-lo tinha que honrar essa condição de homem. Tinha que ser cumpridor de seus compromissos, custasse o que custasse. Tinha que ter na cara, além da barba, vergonha!”

Novos tempos, novos costumes! Dessa forma, temos atualmente os contratos que fazem valer as responsabilidades de cada parte e, se pensarmos nas promessas políticas, imagine como seria esta nossa análise, eleição após eleição apostamos em pessoas que se comprometem com questões fundamentais de melhorias para o nosso País e durante o mandato não fazem absoluta questão de demonstrar e comprovar o que prometeram x o que realizaram.

Voltando à questão de dar a palavra, acho bonito quando alguém utiliza algumas das expressões abaixo:
Eu acredito em você!
Eu confio que vai fazer!
Sei que posso contar contigo!

As pessoas que escutam frases como essas certamente têm um histórico de serem confiáveis, pontuais, disciplinadas, organizadas de tal forma que não se “esquecem” de fazer o que prometeram. É claro que imprevistos acontecem e podem complicar uma entrega e para isso temos como ferramenta a nossa comunicação!!! Trata-se de respeitar o outro e avisar com antecedência, caso não seja possível cumprir com o que foi prometido, independentemente da circunstância sempre é possível dar um jeito…

Faço questão de dar minha palavra quando me comprometo com algo, pois um dos meus principais tesouros é o meu nome e me orgulho muito dele. Por isso, minha palavra vale!