Transição e Maturidade Financeira

0
339

O mercado de trabalho no Brasil segue em situação extremamente delicada. Temos percebido um aquecimento, mas os processos estão lentos e com isso um descasamento entre as expectativas de candidatos e empresas. Há uma oferta nunca antes vista de executivos e especialistas disponíveis no mercado, em todos os escalões, portanto os períodos de transição estão mais longos.
Sem levar isso em conta, o que percebo em minha função de recrutador é um despreparo atroz por parte dos candidatos em questões financeiras. As economias estão minguando, as poupanças foram raspadas e as dívidas crescem. Em geral, o profissional imagina uma transição mais curta do que o que vem acontecendo e mantém um estilo de vida como se ainda estivesse empregado, as saídas continuam com nenhuma contrapartida de ingressos, um efeito devastador e muitas vezes desesperador.
Não posso me abster de recomendar que nessa fase de transição o profissional tenha maturidade e tenacidade suficiente para reduzir ao máximo as despesas, cortando os supérfluos que ao final dos meses que se acumulam somam quantias vultosas que realmente fazem uma grande diferença. Renegociar planos de telefonia, cortar aquelas centenas de canais desnecessários, as idas ao shopping, as refeições fora de casa. Na fase em que estamos, a ilusão da entrada dos pacotes de desligamento rapidamente se esvanece.
Outra recomendação é investir a rescisão em um portfólio que traga algum alento, e como o profissional terá um tempo para si, o ideal é não o desperdiçar e trabalhar para que seu dinheiro renda.
Uma alternativa também pode ser a aquisição de uma franquia, mercado que vem crescendo apesar da crise. As franquias são uma boa forma de investimento onde grande parte do risco é mitigado pelo know how da máster franqueadora e pelo constante apoio e supervisão que os franqueados recebem. Para esse tipo de negócio existem linhas de crédito atraentes sem que o principal seja erodido, tornando-se assim uma fonte de renda saudável, e na medida em que o profissional se recoloque, pode ser substituído por um profissional que gerencie o negócio e ainda assim manter como uma segunda fonte de renda que sobreviverá a outras crises.
Os tempos que estamos passando exigem uma maturidade financeira, uma dedicação e tenacidade pessoal muito grandes para que possamos sobreviver a esse período.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorÉ importante ter Reserva de Emergência?
Próximo artigoLiderança humanizada, e a distância
Tenho experiência internacional em diversos segmentos e como CEO da Alexander Hughes, multinacional de recrutamento executivo, consigo aplicar minha experiência na busca por excelência no preenchimento das necessidades de executivos em nossos clientes. Sou ávido por conhecer novas pessoas, pratico incessantemente o netweaving, buscando diariamente conexões, trocas de experiência de forma altruísta visando a construção de relacionamentos sólidos e duradouros.